IVC: Audiência da maioria dos sites de notícias recua após as eleições

Como era de se esperar, passadas as eleições a visitação nos portais e sites de notícias recuaram. Quem cresceu forte em outubro recuou forte no mês de novembro. A tabela abaixo, com dados compilados junto ao Instituto Verificador de Comunicação (IVC), mostra o número de impressões de páginas no mês de novembro e a variação em relação ao mês anterior:

veículo out/18 nov/18 %
Folha 470.993.508 231.506.740 -50,85
O Globo 174.921.476 132.093.435 -24,48
Estadão 221.580.213 123.433.373 -44,29
Extra 103.298.827 107.581.733 4,15
Veja 114.661.084 56.994.214 -50,29
O Dia 59.146.372 53.857.214 -8,94
ClicRBS 47.694.398 50.859.787 6,64
Exame 65.819.963 33.373.754 -49,30
Valor 39.441.300 31.822.054 -19,32
Campo Grande News 31.519.264 22.101.181 -29,88
O Tempo 23.871.285 18.291.253 -23,38
Época 13.984.487 8.879.600 -36,50
A Tribuna 11.658.793 7.282.896 -37,53
Época Negócios 4.343.173 4.102.461 -5,54
O Pioneiro 4.166.277 3.987.581 -4,29
Bem Paraná 3.461.572 3.853.743 11,33
Jornal NH 3.185.421 2.876.621 -9,69
Diário Gaúcho 2.678.549 2.692.154 0,51
DCI 2.473.250 2.524.305 2,06

Dos 19 sites pesquisados, 14 tiveram queda de audiência. O maior tombo foi da Folha de S. Paulo. O maior jornal do Brasil perdeu mais da metade das visualizações (-50,85% pv). A Folha, no entanto, tem desempenho superior ao do mês de agosto, na largada da corrida eleitoral. É possível que a campanha voluntária para assinar a Folha, nascida após as acusações do presidente eleito Jair Bolsonaro de que o jornal publica ‘fake news’, já esteja repercutindo em uma maior número de acessos às suas reportagens.

Outro veículo que perdeu mais da metade da visitação foi a Veja, com queda de 50,29%. Exame também registrou um recuo brusco, de 49,30%.

Na disputa pelo posto de segundo maior jornal em acessos na internet, o jornal O Globo retomou a dianteira na frente do Estadão. O Globo teve queda de “apenas” 24,48%, menos do que o Estadão, que teve 44,29% menos visualizações de página em relação a outubro.

Entre os cinco sites que cresceram em audência, o que teve melhor desempenho foi o portal Bem Paraná, com alta 11,33% no mês de audiência. Foram dois picos de audiência: no dia 4 de novembro, o MBL e diversos sites e redes sociais de direita repercutiram nota postada no blog do jornalista Fernando Tupan sobre um professor universitário que teria agredido o filho por comemorar a eleição de Bolsonaro – a história, curiosamente, não ganhou destaque em nenhum outro veículo de comunicação indexado no Google News. O segundo pico aconteceu no dia 10 de novembro, desta vez com informações sobre o assassinato do jogador de futebol Daniel Freitas, um dos crimes que teve maior repercussão na imprensa brasileira no mês.

O portal gaúcho ClicRBS, com desempenho tímido durante a campanha eleitoral, voltou a crescer. Boa parte da audiência veio do noticiário esportivo, como a cobertura da tentativa do Grêmio de eliminar o River Plate da Copa Libertadores no tapetão, no início do mês, e a permanência de Renato Portaluppi no comando do Grêmio, no final do mês.

Também cresceram as audiências de Extra, DCI e Diário Gaúcho. Curiosamente, o texto mais acessado do DCI em novembro é uma barrigada. A coluna Esplanada cravou que Magno Malta seria ministro do Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, o que não aconteceu.

Pra fechar a coluna, segue ainda uma curiosidade sobre o Valor, que recuou 19,32% em visitação em novembro. O texto mais lido do portal econômico no mês, com mais de 96 mil acessos, se chama Tubarão Sertanejo – é um detalhado perfil do cantor sertanejo e empresário Sorocaba, assinado pela jornalista Cristiane Barbieri.

* * *

Em tempo, a Gazeta do Povo divulgou no final do mês passado nota dizendo que foi o jornal mais lido do país no mês das eleições. Apoiada em dados da comScore MyMetrix, o jornal paranaense afirma ter registrado 33,7 milhões de visitantes únicos em outubro, contra 33 milhões de leitores da Folha.

Só que, como escrevi na minha coluna sobre os dados de outubro, o IVC apurou que a Folha teve 63,864 milhões de acessos únicos em outubro. Isto é quase duas vezes o número estimado pela comScore.

Eu particularmente confio mais nos dados do IVC – que tem amplo acesso aos números da Folha –, do que uma empresa que trabalha através com dados através de estimativas. Vale lembrar que metodologias de medição de audiência podem ser diferentes de um sistema para outro. Mas, ainda assim, se usarmos outras ferramentas que buscam fazer o benchmarking do desempenho de websites, como o SimilarWeb ou o Alexa, não há qualquer sinal neles de que a Gazeta do Povo esteja perto de encostar nos números da Folha, que dirá que a tenha ultrapassado.

Paulo Serpa Antunes Escrito por

Jornalista especialista em jornalismo digital, mestre em Comunicação Social pela PUCRS, com passagens pelas redações de Zero Hora, UOL e Jornal do Comércio. É diretor da Associação Riograndense de Imprensa (ARI).

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *